AEROBLOG : NOTÍCIAS EXCLUSÍVAS

 

NOVOS AIRBUS A330NEO  DA TAP TERÃO  CABINES AIRSPACE

A TAP assinou um acordo com a Airbus, no âmbito da AIX -  Aircraft Interiors Expo 2016,  realizada em Hamburgo, pelo qual a companhia aérea portuguesa será a primeira operadora do novo avião A330neo equipado com a nova versão de cabine Airspace projetada pela construtora europeia..
 
Com vista a renovar a sua frota, a TAP fez em 2015 uma grande encomenda de aviões à Airbus, incluindo 14 aeronaves A330-900neo. Assim, os passageiros da companhia poderão usufruir, pela primeira vez, de uma nova experiência de viagem a bordo dos novos A330neo com o conceito Airspace  .Os aviões A330-800neo e A330-900neo são os dois novos membros da família wide-body da Airbus lançados em julho de 2014, cujas primeiras entregas estão previstas começar no final de 2017. Além do novo interior de cabine Airspace, o A330neo incorpora também a ultima geração de reatores Rolls-Royce Trent 7000 e melhorias ao nível da aerodinâmica. Com características econômicas imbatíveis e grande versatilidade , o A330neo proporciona reduções de combustível da ordem dos 14% por assentos de avião, tornando-o  novo wide-body mais eficiente. “Estamos extremamente orgulhosos pelo fato de a TAP ser a primeira companhia a operar a cabine Airspace da Airbus nos novos aviões A330neo. Tanto os nossos passageiros como os nossos tripulantes vão poder beneficiar de uma nova experiência de viagem proporcionada por este novo e inovador design de cabine de avião”,afirmou Trey Urbahn ,”Chiel Commercial Officer” da Tap. em declarações à imprensa .

AUMENTAM NÚMERO DE PAXS E PREJUÍZOS NA INDÚSTRIA AÉREA DO PAÍS

Quando um mercado cresce na mesma proporção  que cresceu a indústria aérea do país, mas as indústrias que atuam nele perdem dinheiro, há algo falho na sua estrutura, ou na política adotada pelo governo. No Brasil houve a soma das duas falhas ; as empresas não souberam “ administrar” o tráfego, em grande  crescimento ( de 38,3 milhões de passageiros em 2002 para 117,3 milhões em 2015)  e no volume de investimentos , se envolvendo numa disputa que recorreu demais aos descontos. Somada à desvalorização do real se verificou o aviltamento do preço médio das passagens ( de R$ 690 em 2005 para o equivalente a R$ 290 em 2015 ) enquanto os custos subiam e os compromisso com a ampliação das frotas, alugando novos aviões oneravam sempre mais os balanços. Basicamente faltaram capitais e o governo preferiu deixar falir empresas prestigiosas que ampara-las nas emergências. E enquanto impedia de qualquer maneira a participação de capitais estrangeiros na indústria, cedia às imposições americanas, levantadas sob o pretexto da livre concorrência,, que acabaram afetaram as receitas internacionais, das quais aéreas como a Varig tiravam as receitas e os lucros mais consistentes .Assim quem não faliu teve que entregar ,como fez a Tam, a congênere Lan, depender  de capitais vindos da Colômbia, ou das peripécias financeiras  às quais se submeteu a Azul. Das quatro,a Gol é aquela que ficou em piores condições com bilhões de dívidas que a obrigam a uma drástica redução da estrutura. Somente am fevereiro foi aprovado o aumento da participação estrangeira nas companhias aéreas do país de 20% para 49%..Os efeitos práticos da medida ,na crise econômica atual, são duvidosos  a indústria teme que a medida tenha chegado tarde demais.

CORRUPÇÃO SE ALASTRA PELO MUNDO

Não é somente no Brasil que os inquéritos revelam o envolvimento de personalidades  em episódios de corrupção .Do exterior, após as revelações políticas da Wikileaks, chegam agora os Panama Papers para divulgar cerca de 11 milhões de documentos que revelam quem e quanto personagens ilustres e cidadãos comuns  depositaram nos chamados “paraísos fiscais”, visando evadir o pagamento de impostos ou esconder operações ilícitas muito bem pagas. A denuncia, feita por funcionário do Estudo Legal Mossak Fonseca do Panamá , relata nomes de cidadãos de 200 países, incluindo 72 chefes de estado ,políticos. empreendedores, artistas e atletas. O anônimo informador encaminhou as primeiras listas à Suddeutsche Zeitung ,que a partir de 2015 as distribuiu a 107 jornais de mais de 70 países integrantes o ICIJ (International Consortium of Investigative Journalists). É bastante curioso observar que as operações denunciadas são permitidas em todos os países, se forem comunicadas pelos interessados às respectivas autoridades fiscais, enquanto sua  omissão criminaliza seus autores : de Putin a Platini ,de Messi a Almodovar ,somente para citar alguns dos nomes mais conhecidos.

Vale 24 bilhões de euros o mercado de drogas na Europa

Estatísticas da Comissão Europeia e da Europol avaliaram em cerca 24 bilhões de euros o valor médio anual das drogas comercializadas  na União. A participação das três principais drogas no mercado  registra 38% da maconha,28% da heroína e 24% da cocaína. Segundo os investigadores da EU as drogas são recebidas e distribuídas por grupos criminais , sendo necessária a integração dos Estados para bloquear desde as suas fronteiras o crescimento desse tráfego.