AEROBLOG: NOTÍCIAS EXCLUSIVAS

”MANI PULITE”, a operação à italiana da LAVA JATO

É impressionante verificar quanto parecidas são as operações “Mani ´pulite” e “Lava Jato”. Ambas tem um líder de grande prestígio e um número incrível de suspeitos ou incriminados. Nos dois casos as acusações estão relacionadas com o recebimento de comissões em moeda nacional ou estrangeira, por valores muito elevados por parte de empresários e de políticos e com as suspeitas das maiores falcatruas cometidas pelas empreiteiras.

Na Itália o procurador da República que por muito tempo se transformou num ídolo popular se chamava Antonio Di Pietro, no Brasil o nome do juiz que abriu a mesma luta contra a corrupção é Sérgio Moro. No final de 1992 havia gente que parava na rua para aplaudir Di Pietro; nos comícios do início de 2016 o nome de Sérgio Moro é o único que recebe aplausos dos manifestantes.

Em comum há ainda um fato impressionante: a operação Mãos Limpas acabou com aquela que era conhecida como a Primeira República Italiana, e com muitos partidos políticos, além de destruir o prestígio que até então circundava as atividades de grandes empreiteiras. .A operação Lava Jato, por enquanto está concentrada em nomes de construtoras nacionais conhecidos internacionalmente e tem posto sob o fogo das investigações políticos e civis envolvidos no tráfego de propinas da Petrobrás e nas eleições dos dois últimos presidentes da República. Os juízes italianos expediram 2.993 mandados de prisão e envolveram 872 empresários e 438 parlamentares entre as 6.059 pessoas que estavam sendo investigadas, Vários suspeitos de suicidaram, A Polícia Federal, por decisão de Sérgio Moro continua investigando centenas de personalidades, desde que começou a atuar, em 2014: já foram condenadas 67 pessoas e foram instaurados 1.114 procedimentos penais contra as personagens detidas. .

Das duas operações, tão parecidas, a italiana acabou de maneira inesperada, quando Di Pietro, um dos símbolos das investigações chamadas de tangentopoli, se demitiu em 1995 e teve que se defender de várias acusações, sendo sucessivamente nomeado ministro e eleito senador. Fundou o movimento político L´Italia dei valori e escreveu vários textos, inclusive biográficos.

Na Lava Jato Sérgio Moro, continua com firmeza suas investigações e resiste às interferências para limitar a sua esfera de ação. Atualmente ocupa o 13º lugar na lista dos 50 nomes mais influentes do mundo da revista americana Fortune, liderada este ano por Jeff Bezos, fundador da Amazon, seguido pela chanceler alemã Angela Merkel, pela líder de Mianmar, Aunga San Suu Kyl e pelo Papa Francisco. Pelas aparências, como aconteceu na Itália, graças à “limpeza” que está sendo executada por Moro após o encerramento da operação Lava Jato (prevista para 2018), se todas as acusações forem comprovadas e as sentenças executadas, a estrutura capitalista e política do Brasil será outra.

Para os relógios chegou a hora da crise

No ano passado a indústria suíça de relógios exportou cerca de 20 bilhões de unidades, 3% menos que em 2014, criando um começo de alarme entre as grandes marcas produtoras. Há quem atribui a caída à valorização do franco suíço sobre o euro, que encareceu os preços dos relógios e com isso o valor dos impostos de vários países sobre eles. Ao mesmo tempo, a produção de relógios chineses baratos e a linha Smart tem invadido o mundo: segundo a consultoria Strategy Analytics enquanto no último trimestre de 2015 os relógios suíços registraram perdas de 4,8% os Smart têm aumentado de 315,6%%%%. igualando praticamente as vendas das marcas tradicionais, calculadas em volta de 8  milhões de unidades. A Swatch, que atualmente é a maior produtora de relógios do planeta, além dos relógios Smart em plástica, representa marcas famosas quais a Omega, a Longines e a Tissot.  O Smartwatch, como é chamado, possui chips que, além de marcar as horas, lhe permitem numerosas funções, inclusive de ser usado como telefone Seu mercado está dividido entre a Apple (75%), a Samsung (7,5%) e várias outras marcas menores (17%).

Namorar com robôs, eis a dúvida.

A perfeição técnica dos robôs chegou a um nível tão elevado que praticamente eles podem ser utilizados na grande maioria das atividades humanas. Até fisicamente eles são sempre mais parecidos conosco. E há gente rica que já os leva para casa, onde eles cumprem as funções mais variadas. Todavia o preço dos fabricados no Japão, que são quase perfeitos, não é barato, com os modelos mais avançados chegando a custar várias dezenas de milhares de dólares.  Entre as funções daqueles com impressionante aparência feminina, movidos pela eletricidade, estão incluídos vários deveres de casa, e os mais sofisticados atuam como companheiras. Em todos os sentidos, inclusive permitem relações sexuais, mas ainda sem reciprocidade e sem carinho. O próximo futuro dirá até que ponto um robô poderá substituir quase totalmente um homem ou uma mulher, afirmam os técnicos japoneses.