AEROBLOG: NOTÍCIAS EXCLUSÍVAS

 

NA ESPANHA: COLCHÕES COM COFRE

A Espanha tem atravessado tempos difíceis para a sua economia. Suas pesetas valiam pouco e, se entregues a um Banco não rendiam quase nada e havia uma taxa mensal a pagar e o risco de falência da instituição. Por tudo isso, em 2013 uma pequena firma de Salamanca, lançou no mercado um colchão com cofre incorporado, cuja campanha publicitária tinha como chamada o título “Caixa Econômica Meu Colchão”. Entre as vantagens do cofre: dinheiro sempre disponível, nenhuma comissão a pagar, nenhum imposto. Na crise atual do Brasil, com os Bancos que movimentam o dinheiro alheio sem pagar interesses aos depositantes, este cofre cuja frente está localizada num dos lados do colchão, poderia ser um sucesso. Mas a sua senha deveria ser de conhecimento familiar, para evitar que em caso de incêndio ou de um desastre natural, possa faltar tempo para pegar o seu conteúdo.

POUCOS ESTRANGEIROS SE REFÚGIAM NO BRASIL

O mundo assiste estarrecido ao drama das centenas de milhares de emigrantes forçados que vindo da Síria, até agora em chamas, pedem refúgio em países da Europa, onde se forem aceitos terão problemas enormes para reconstruir suas casas e encontrar trabalho. No Brasil esse problema tem proporções bem menores ,e o benefício do refúgio em geral é concedido a quem demonstra ser vítima de persecução política ou de eventos bélicos no país de origem. Todos os que não possuírem visto de entrada são bloqueados no desembarque pela Polícia Federal que obriga a voltar aos países de origem os que não estão qualificados para serem aceitos como refugiados ou, após investigações, os encaminha ao Comité Nacional para Refugiados para legalizar a entrada no país. Atualmente são cerca de 9 mil os estrangeiros que O Brasil reconheceu como refugiados.

Voos especiais da Ryanair para executivos

A empresa “low-cost” Ryanair, cujo sucesso no mercado aéreo é indiscutível, decidiu agora dedicar um de seus Boeing 737-700 exclusivamente aos executivos ou a equipes esportivas que, num total de cômodos 60 assentos de couro, distantes cerca de 122 centímetros um do outro, poderão voar na máxima privacidade por até seis horas para qualquer destino dentro da Europa. A tarifa média per capita está em volta de 550 libras esterlinas (cerca de 3.000 reais ao cambio atual). A Ryanair, que transporta em média 25 milhões de passageiros ao ano em sua extensa rede europeia, ganhando com as tarifas baixas e o serviço eficiente a competição com várias empresas mais tradicionais, abre assim uma nova opção para absorver o tráfego business, que é o mais procurado por todas.

TRUMP, O EQUÍVOCO REPUBLICANO

A perda de um presidente como Obama será ainda mais grave para os americanos se o seu substituto for Trump. O gordo bilionário se diz republicano e como tal se apresenta aos eleitores sob a bandeira do Partido, conseguindo dos delegados votos que derrubam os outros concorrentes à nomeação para a presidência dos Estados Unidos. Na realidade, como afirma o historiador Geoffrey Kabaservice “ele é um populista e sua retorica é semelhante à de um caudilho”. Mas a previsão é de que ele será nomeado pelo Partido Republicano, pelo grande apoio que está recebendo onde se apresenta e que será o rival de Hillary Clinton na eleição final para a presidência. Até agora ele é um fenômeno nunca antes visto na política dos Estados Unidos: caberá aos americanos demonstrar sua gratidão à luta de Obama para oferecer melhores condições de vida aos milhões de latinos, de negros e a todos os excluídos de uma vida social decente, não dando seus votos a quem imita com sua retórica os piores demagogos da história mundial.

VOOS LOW-COST ENTRE A EUROPA E OS USA

A terceira empresa aérea low-cost que opera na Europa se prepara para ligar inicialmente Roma e Paris aos Estados Unidos. As outras duas, EasyJet e Ryanair tem tentado sem êxito, até agora, entrar no mercado do Atlântico Norte. O anúncio veio na semana passada da Norwegian Air, aérea que ainda ocupa uma posição inferior entre as três low-fares: no primeiro semestre de 2017 começará a operar para Nova York dos aeroportos de Fiumicino (onde este mês acaba de instalar o seu centro operacional italiano) e de Charles de Gaulle. Thomas Ramdahl, chefe do commercial office da Norwegian afirmou à imprensa que os voos serão realizados num Boeing787-9 Dreamliner e que as tarifas serão respectivamente de 199 euros saindo de Roma e de 179 euros saindo de Paris, tanto na ida como na volta.