AEROBLOG de 20 de novembro

Como vai acabar o capitalismo ?

Já se encontra a venda nas livrarias ”How will capitalism end ?“ um estudo de 272 páginas no qual o sociólogo alemão Wolfgang Streeck reúne vários ensaios para sustentar a teoria de que o capitalismo se aproxima de seu fim, sem que por isso seja substituído pelo regime oposto, o socialismo. Textualmente o autor escreve que o capitalismo “pelo que pode ser previsto no futuro permanecerá no limbo ,falecido ou à beira da morte por overdose de si mesmo, pois ninguém tem o poder de remover do caminho o seu cadáver em decomposição”. O capitalismo teria ficado sem mais capacidade de oferecer à sociedade instituições em condições de proteger seus membros “contra monstruosidades de toda espécie”. Essa inevitável carência facilitará o advento de oligarcas e de fações armadas que imporão uma insegurança generalizada, fazendo retroceder a vida social a algo parecido com aquela que a história definiu como “idade das trevas”. O autor resume as causas dessa tragédia: a inflação mundial dos anos 1970, a explosão da dívida pública na década sucessiva, o crescimento da dívida privada a partir de 1990 , com suas decorrentes crises financeiras. Esse panorama negativo seria complementado pelo agravamento progressivo da crise fiscal nas estruturas democráticas de muitos países. Exageros eventuais à parte, o livro evidencia a necessidade de mais controles sobre a crescente expansão internacional do capitalismo predatório.

PIADAS SOBRE A PRISÃO DE DOIS EX GOVERNADORES

Uma após a outra caem as cabeças de centenas de personalidades da política, da indústria e de um número crescente de governantes. Apesar de acostumados às ordens de prisão e às condenações emitidas pela justiça, os brasileiros reagem de maneira diferente às notícias do cumprimento dos mandatos judiciais, mas em geral aplaudem as decisões vindas de Curitiba. Até hoje raras vezes haviam expressado abertamente a satisfação com que foi recebida a noticia da prisão de dois ex governadores do Rio de Janeiro : Garotinho e Sérgio Cabral. Em particular o fim das roubalheiras praticadas pelo segundo deu até origem a esta piada: ”Mãe, no Rio se rouba desde Garotinho ?”. “Não, meu filho, se rouba desde Cabral !” Foi o Cabral que descobriu o Brasil. E coube ao Sergio Cabral quebrar o Rio.

ALUGUEL POR TEMPORADA E TURISMO NO BRASIL

O site Airbnb até atualmente era conhecido por atuar no setor de hospedagem de vários países do mundo, no chamado segmento do aluguel por temporada em apartamentos particulares, oferecendo preços menores daqueles vigentes em hotéis e, na maioria dos casos ,com a vantagem para o turista de dispor de um inteiro apartamento, incluindo a cozinha. Desde 2008 quando iniciou suas atividades, a Airbnb atua em 191 países, com um aumento continuo do numero de hospedagens, que segundo o seu representante teriam totalizado mais de 70 milhões só nos últimos 12 meses. No Brasil totalizam 110 mil as acomodações disponíveis, superado as cerca de 80 mil oferecidas por outras grandes capitais, como Londres e Nova York. Segundo as estatísticas durante os 30 dias da Copa do Mundo no Rio de Janeiro e nas 12 cidades incluídas no evento , as hospedagens por temporadas chegaram a cerca de 100 mil. Nos planos do site Airbnb está a expansão no turismo online e a oferta de passeios turístico ,incluindo a reserva de mesas em restaurantes. Entretanto, segundo análise do banco de investimentos Renaissance Capital o Brasil (com receitas turísticas equivalentes a apenas 0,3% do PIB) está entre os países que não conseguem explorar todo o seu potencial turístico, da mesma maneira que a Índia, Rússia e Nigéria. As dificuldades para obter o visto são apontadas como a causa principal que freia o fluxo de visitantes, prejudicando a “liberdade de viagem” nesses países, além de afetar as vantagens econômicas e sociais proporcionadas pelo turismo.

AS INCOGNITAS DO DÓLAR AMERICANO

Desde 9 de novembro ,após a vitória de Donald Trump nas eleições americanas o valor do dólar subiu 3,5% nos mercados internacionais, na comparação com a cesta de seis moedas de outros países, de acordo com as informações do Wall Street Journal. É o índice mais elevado desde 2003.A previsão do Banco Mundial e de outras entidades financeiras é de que essa tendência inicial – baseada nas promessas de Trump de realizar investimentos na infraestrutura, cortar impostos e tomar outras providências para levantar a economia do país – deverá se refletir no índice de inflação dos Estados Unidos, exigindo ser compensado com o aumento dos juros. E tão logo o Banco Central (Fed) aumente a taxa básica de juros , medida prevista para dezembro, a moeda americana atualmente atraente por sua solidez a prova de desvalorizações, se tornará um excelente investimento atraindo capitais que até agora tem circulado pelos países emergentes, ganhando juros elevados mas enfrentando riscos. Os efeitos negativos dessa mudança deverão afetar as economias de vários países, inclusive o Brasil, que neste interim, na contramão do mercado global , tem registrado três quedas seguidas na taxa de câmbio do dólar com o real, com o apoio pelo Banco Central , que tem efetuado suas já habituais intervenções , vendendo milhões de dólares de suas reservas, até acalmar a pressão dos compradores