AEROBLOG de 25 de dezembro

SAQUES DOS TRABALHADORES VÃO INCENTIVAR A ECONOMIA ?

Domingo de Natal, alimenta o otimismo para 2017. A economia vai melhorar ? O governo divulgou informações sobre providências programadas para fevereiro próximo que animaram quem ainda acredita num futuro melhor. Mas na pressa não foi inicialmente muito claro sobre a consistência e os critérios que serão aplicados em relação aos saques que os trabalhadores poderão fazer em seus créditos do Fundo de Garantia. Segundo os últimos esclarecimentos os recursos disponíveis serão apenas aqueles das contas inativas, ou seja os valores que se encontram bloqueados no FGTS desde quando o trabalhador se demitiu voluntariamente ou foi demitido por justa causa de seu(s) ultimo(s) emprego(s). Ele não terá por isso direito a receber o valor depositado mensalmente por seu atual empregador , nem de sacar a soma acumulada na sua nova conta do Fundo, que permanece bloqueada. Quanto ao montante total, porcentual ou máximo que poderá ser sacado pelos que tem direito, parece que não haverá limitações, apesar de inicialmente ter sido divulgado que o valor máximo do resgate seria de R$ 1.000 e que somente as contas inativas com deposito de até 10 salários mínimos teriam esse direito. Em todo caso está sendo previsto que a maior circulação de dinheiro será benéfica para a anémica economia do país.    

EM PARIS HÁ DOIS RATOS POR HABITANTE

A imprensa deu o alarme : alguém estimou que circulam por Paris ,em média, dois ratos por habitante. Em tudo seriam cerca de 4 milhões e não vivem somente – como contava Victor Hugo no seu famoso “Os miserables” - nos bairros mais pobres da Capital. São visto em vários pontos da famosa Rue de Rivoli, na área do Museu do Louvre, ou nos jardins das Touleries, mas não são tão grandes que “poderiam comer os gatos”. Nem são perigosos, mas espantam e sujam a cidade quando a cruzam em grupos de cem ou 200 animais. Mais um problema a ser enfrentado pela administração francesa, já bastante preocupada com os atentados terroristas.

Musicas natalinas que mais circulam pelo WhatsApp

As comunicações através dos WhatsApp dos telefones circulares, sempre mais intensas e variadas focam praticamente todos os acontecimentos da vida social, para desespero das empresas de comunicação ,sempre menos solicitadas após que o Skype havia inaugurado a época das conversas baratas ou gratuitas. Neste Natal, os saudosos lembraram duas canções famosas : a belíssima música de John Lennon e as notas e imagens alegres que nos bons tempos a Varig divulgava na época natalina. Deixe que seus filhos as escutem, para que eles saibam que a canção mais amada nada tem a ver com a maioria das músicas barulhentas que atualmente circulam pelas estações de nossos rádios e TV.

TRUMP EVOCA A PROPAGANDA NAZISTA, SEGUNDO J.E.STIGLITZ

Segundo Joseph E.Stiglitz, vencedor do prémio Nobel de Economia, as promessas e declarações de Donald Trump sobre a futura politica económica dos Estados Unidos continuam sendo inconsistentes e em muitos casos “evocam os propagandistas nazistas”. Ele parece desconhecer que os Estados Unidos demonstraram no terceiro trimestre “um impressionante ritmo de expansão de 3,2% ao ano” e registraram em novembro uma taxa de desemprego de apenas 4,6%. Uma conjuntura muito diferente daquela herdada em 2009 por Barack Obama ,quando após o governo de George W.Bush a economia “encolhia rumo a uma profunda recessão”. Trump prometeu mais gastos em infraestrutura e defesa, recorrendo a grandes cortes tributários e visando a redução do déficit: Trump parece ignorar que no governo americano ficou muito pouco para cortar ,sem onerar as minorias que atualmente já estão bastante desamparadas. Muitos analistas temem que o radicalismo anunciado poderá abrir nos Estados Unidos o caminho para perigosas aventuras político-sociais.    

ALITALIA NOVAMENTE ENFRENTA PROBLEMAS FINANCEIROS

A fusão com a empresa asiática Etihad ,que ficou com 49% de seu capital ,deu um notável impulso as atividades da Alitalia, após anos de dificuldades financeiras que impossibilitavam a renovação de boa parte da frota e, com isso, a sua capacidade de competir nas rotas transoceânicas. Houve muitas promessas vindo de Abu Dhabui, mas os investimentos não foram aqueles prometidos e a empresa voltou a ter dividas onerosas e problemas que exigem uma nova solução. Segundo a Alitalia, tendo o apoio dos bancos italianos haveriam somente duas opções: 1) também a Etihad participaria do financiamento das pesadas dívidas acumuladas nos últimos dois anos de atividade; 2) a Alitalia recorre a uma nova abertura de seu capital, provavelmente aceitando uma proposta da Lufthansa. Essa segunda possibilidade desagrada à Etihad que - de acordo com a formula europeia que limita a 49% a participação de aéreas que não pertencem à EU - deveria aceitar e cobrir o aumento do valor da empresa italiana, assumindo parte do montante elevado das dívidas atuais. A possibilidade da empresa árabe se retirar do acordo com a Alitalia está sendo considerada como provável. Ela depende agora de um lado da aceitação do governo italiano de participar financeiramente no acerto e do outro tanto da permanência do atual presidente da Etihad, James Hogan, que do interesse da sua empresa em permanecer operando com a aérea italiana, visando a expansão conjunta de suas rotas na Europa e em outros mercados.

AOS LEITORES ENVIAMOS OS VOTOS PARA UM FELIZ NATAL E PARA UM 2017 MELHOR DO ANO QUE ESTÁ SE ENCERRANDO