AEROBLOG: n0tícias exclusivas

A GOL VOA SEM RUMO NO MERCADO AÉREO

Desde o seu debute no mercado, em 2001, a Gol não encontrou o caminho certo. Seu primeiro presidente, Constantino de Oliveira Jr, a apresentou como uma empresa “low-cost” e teve a pretensão de adquirir a Varig por 275 milhões de dólares, perdendo em curto prazoum milhão de dólares por não saber operar as rotas europeias adquiridas da aérea rio-grandense. Vindo de uma tradição de transportes terrestres no nordeste, a Gol nunca decolou com firmeza, pois teve sempre que enfrentar obstáculos estruturais e administrativos. Até entrar recentemente num “cumulus nimbus” que quase a afundou, se uma providencial medida provisória não lhe permitisse ampliar para 300 milhões de dólares a participação em seu capital da Delta americana. Na prática só esporadicamente a Gol foi uma aérea de baixo custo, mal administrada na longa permanência de seu primeiro presidente, e mantida na última década, com injeções continuas de empréstimos (atualmente tem uma dívida bruta de R$ 9 bilhões), e deve ao esforçado Paulo Kakinoff, seu presidente atual, uma sobrevivência que o mercado estima seja de curta duração, após o anuncio de R$4,3 bilhões de prejuízos em 2015. Se for concretizada a liquidação dos 737-700 e dos velhos Boeing herdados da Varig, uma enxuta Gol com apenas 20 aeronaves poderá tentar o caminho das operações “low-cost, das quais o país precisa”. Para voltar às origens poderá recorrer às consultorias da Ryanair e da EasyJet.

 A APPLE LANÇARÁ NOVIDADES NO MUNDO DAS APP

As empresas de informática concorrentes acompanham com temor o silencio da Apple, que em sua sede de Cupertino está testando, “up secret” novas aplicações das app.  Ela, conta com o entusiasmo dos jovens que atualmente usam e abusam delas, se afastando sempre mais dos tradicionais programas operados pelos computadores. Diante das notórias resistências às inovações de parte dos adultos, acostumados com o software Microsoft, as novidades da Apple virão por etapas: por enquanto em seus computadores já instalou um “app store”, que funciona tanto com o antigo software que com as novas app. Entretanto, no mundo da informática se aguarda para breve a aplicação do novo sistema também aos aparelhos de TV, com cada canal utilizando o seu e tendo os atuais telecomandos substituídos por comandos verbais. Da mesma maneira também os passaportes, como já acontece com os cartões de embarque nos programas Apple e Android, poderão fazer parte, juntos com outros documentos, da categoria paperless. E haverá o car kit que funcionará nos carros e o home kit para usos domésticos. Sem contar os aperfeiçoamentos   nas performances dos smartphone, tablet e app que a Apple, comemorando neste ano seus 40 anos, oferecerá aos mais jovens, abrindo para eles ainda mais o mundo digital que pensavam ficasse limitado aos celulares. 

SERVIÇO PRECÁRIO DE CLASSE ECONÔMICA DEVERÁ PIORAR

Os chamados “frequente travellers” que aguardavam providências para que as empresas aéreas oferecessem poltronas um pouco mais cômodas e alguns centímetros a mais para esticar os pés, esqueçam. As companhias americanas, não satisfeitas com os lucros elevados que estão tendo com a drástica redução do preço do combustível, decorrente da baixa dos barris de petróleo Brent, inventaram de oferecer aos usuários   da classe econômica tarifas até 25% mais baratas, se eles desistem da reserva de assento, se acomodando por últimos nos lugares da cabine que ficarão vazios. As empresas compraram aviões demais, os mercados não cresceram na mesma proporção e para não voar com poltronas de econômica vazias decidiram oferecer descontos a quem aceitar as que sobrarem. A oferta poderá interessar os passageiros solitários, pois quem gostaria de ficar perto de amigos ou familiares dificilmente o conseguirá, Segundo a imprensa,  a Anac brasileira já se teria pronunciado a favor dessa classe “superconômica”, ignorando a crise da indústria, a diversidade do mercado nacional do americano e o fato que se as empresas do país já perdem dinheiro com a “full fare” (e estão reduzindo a oferta de assentos por falta de viajantes) na prática em alguns voos acabarão oferecendo a todos o 25% de desconto,  aumentando o vermelho de seus balanços anuais.

BANQUEiROS EUROPEUS GANHAM  ATÉ 1 MILHÃO AO ANO

Um milhão ou mais de euros ao ano, somando salário e bônus, eis os ganhos  de cerca de 3 mil banqueiros que atuaram em Londres em 2014 ,segundo estatísticas  da EBA, European Banking  Authority. No segundo lugar  na Europa se encontra  a Alemanha seguida por França, Itália e Espanha, com uma centena de banqueiros milionários cada uma. E nesses países  alguns banqueiros  ganharam até mais que um milhão. Escreve a EBA: “Salários desses níveis seriam compreensíveis se fosse comprovado que a atividade dessa categoria contribui ao crescimento da economia nacional, apoia as atividades industriais, incentiva uma maior produtividade visando  salários melhores para todos. Pelo contrário  a economia se encontra em parábola decrescente em todos esses países.”.